Seguidores

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Âmbar, Mineral de Origem Orgânica

Âmbar, Mineral de Origem Orgânica
Âmbar, Mineral de Origem OrgânicaÂmbar é um mineral de origem orgânica, derivado de resinas de árvores coníferas que, enterradas  durante milhões de anos, sofreram um processo de fossilização. Quimicamente, consiste em uma mistura de resinas e substâncias betuminosas, de fórmula C10H16O.

Devido às singulares propriedades que possui, o âmbar era utilizado como amuleto pelas antigas civilizações. Atualmente, é empregado na fabricação de bijuterias e objetos decorativos.

É encontrado na forma de nódulos irregulares de coloração amarelo-parda, às vezes turva devido à inclusão de minúsculas bolhas de ar. Ao queimar-se, desprende um odor agradável, fundindo-se em temperaturas entre 280 e 290o C. Insolúvel em água, o âmbar se dissolve em éter e clorofórmio. Quando transparente, apresenta um índice de refração entre 1,53 e 1,55.

Uma das propriedades mais conhecidas do âmbar é a facilidade com que se eletriza ao sofrer atrito. Utiliza-se essa característica para diferenciá-lo de outras substâncias de aspecto semelhante. Constitui, ainda, uma fonte de informação preciosa para os paleontólogos, uma vez que é possível encontrar, em seu interior, fósseis de insetos e plantas há muito extintos.

Os mais importantes depósitos desse mineral são os do mar Báltico. O âmbar ocorre também na Romênia, na costa da Sicília e em Myanmar (Birmânia), perto de Myitkina.
Fonte: Geologo.com

Trump sobre Coreia do Norte: 'Não temos escolha senão destruir totalmente'

Trump sobre Coreia do Norte: 'Não temos escolha senão destruir totalmente'



Em sua estreia em Assembleias-Gerais das Nações Unidas, o presidente norte-americano, Donald Trump, fez um discurso hoje (19) essencialmente baseado em segurança e prometeu vencer o terrorismo e as ameaças nucleares da Coreia do Norte.
"Terrorismo e extremismo ganharam força e se espalharam por todos os países", disse Trump. "Precisamos garantir que as crianças sejam criadas livres do medo". Referindo-se ao programa nuclear norte-coreano e aos testes de mísseis conduzidos pelo ditador Kim Jong-un, Trump afirmou que "nenhuma nação do mundo tem o interesse de ver esse bando com armas nucleares e mísseis".
"Não teremos escolha senão destruir totalmente a Coreia do Norte", ameaçou o magnata republicano, caso o país não desista de suas ambições, as quais Trump chamou de "missão suicida".
"Mas esperamos que isso não seja necessário, por isso existe a ONU. É isso que as Nações Unidas fazem. Eu gostaria de agradecer pelas votações no Conselho de Segurança e convidar a China e a Rússia a se juntarem e imporem todas as sanções comerciais e financeiras à Coreia do Norte", pediu. "Chegou a hora de nos juntarmos para interromper o regime de Kim".
A Coreia do Norte enviou hoje uma comissão de cinco pessoas, além do ministro de Relações Exteriores, para Nova York para acompanhar os debates da ONU. Ao abordar a luta contra o terrorismo, Trump também pediu apoio dos países-membros das Nações Unidas.
Ele informou que as missões norte-americanas no Oriente Médio, como na Síria, no Iraque e no Afeganistão, serão baseadas a partir de agora em uma série de fatores, analisando cada uma das opções. Assim como já vinha dizendo desde sua campanha à Casa Branca, Trump voltou a definir o acordo nuclear com o Irã como uma das piores coisas para os EUA.
O republicano também criticou mais uma vez o regime sírio, de Bashar al-Assad, e defendeu uma solução para a crise imigratória baseada em apoio financeiro para que as pessoas continuem em seus países.
Contrário a acolher de maneira ampla os refugiados e imigrantes, Trump alegou que é mais eficaz dar suporte para que as pessoas reconstruam suas vidas na terra natal. Em seu longo discurso, de quase 40 minutos, o presidente norte-americano citou também Cuba, ressaltando que as sanções financeiras e econômicas continuarão até que o regime de Raúl Castro faça reformas políticas. Em outro momento, Trump reafirmou a necessidade de resolver a crise política na Venezuela e elogiou os resultados econômicos registrados nos EUA desde sua posse, no início do ano.

Fonte: UOL

Produção de cobre avança nos primeiros sete meses de 2017 no Peru

Produção de cobre avança nos primeiros sete meses de 2017 no Peru


A produção peruana de cobre, zinco e ferro está em alta nos primeiros sete meses deste ano, enquanto a de ouro e chumbo apresenta queda, de acordo com o Ministério de Minas e Energia do país.
O Peru, um dos principais produtores mundiais de minerais, obteve 1,38 milhão de toneladas de cobre de janeiro a julho, um aumento de 4,3% em relação ao mesmo período do ano anterior.
Nessa mesma base comparativa, a produção de zinco cresceu 12% e a de ferro aumentou 10%.
A produção de ouro, por sua vez, caiu 4,8%, enquanto a de chumbo apresentou declínio de 2,6%.
O cobre e o ouro são os principais produtos de exportação do Peru.
Fonte: Exame

Novos táxis pretos elétricos de Londres impulsionam alumínio

Novos táxis pretos elétricos de Londres impulsionam alumínio


Os táxis pretos de Londres passaram a ser elétricos, mostrando que a nova onda da tecnologia automotiva já está modificando a indústria de metais. Após permanecer fechada por três anos devido ao mercado fraco, a fábrica de alumínio da Sapa no sul do País de Gales reabrirá nesta semana para fornecer peças leves a fabricantes de automóveis como a London Electric Vehicle, fabricante dos táxis pretos. Isso faz parte do renascimento do alumínio, componente-chave da tecnologia dos novos automóveis. Os preços subiram quase 40 por cento desde o início de 2016 em meio à repressão chinesa contra a capacidade ilegal e a novas fontes de demanda. O setor foi atingido pelos problemas de excesso de oferta no início da década e o metal ainda está 37 por cento abaixo do recorde de 2008. As fabricantes de automóveis estão recorrendo ao alumínio e a outros metais leves para aumentar as distâncias dirigidas e reduzir a poluição atmosférica, que causa quase 10.000 mortes prematuras por ano em Londres. A fabricante de táxis está investindo US$ 400 milhões para produzir veículos elétricos equipados com chassi de alumínio e o Reino Unido planeja eliminar o uso de veículos movidos a combustíveis fósseis até 2040.
Fonte: UOL

Commodities – Preços do ouro próximos à mínima de mais de duas semanas

Commodities – Preços do ouro próximos à mínima de mais de duas semanas


Os preços do ouro flutuavam em torno da mínima de mais de duas semanas nesta segunda-feira, já que o dólar norte-americano recuperava alguma posição após os dados frustrantes sobre os EUA divulgados na sexta-feira e devido ao fato dos investidores estarem voltando suas atenções à próxima reunião de política monetária do Federal Reserve, que ocorrerá nesta semana.
Na divisão Comex da Bolsa Mercantil de Nova York, contratos futuros de ouro recuavam em torno de US$ 8,97, ou cerca de 0,67%, chegando a US$ 1.316,23 a onça troy por volta das 09h35 (horário de Brasília).
A moeda dos EUA se recuperava de perdas registradas na sexta-feira após a divulgação de dados que mostraram que a produção industrial e a produção manufatureira do país inesperadamente caíram em agosto.
Além disso, o Departamento de Comércio dos EUA afirmou que as vendas no varejo tiveram uma redução inesperada de 0,2% em agosto.
Ainda nesta semana, o Fed deverá deixar as taxas de juros inalteradas, mas poderá dar indicações sobre quando planeja começar a reduzir seu balanço patrimonial.
O índice dólar, que mede a força da moeda frente a uma cesta ponderada de seis principais divisas, permanecia estável em 91,67.
O ouro é sensível a movimentos do dólar. Um dólar mais forte torna o ouro mais caro para detentores de modas estrangeiras.
Além disso, os mercados pareciam ter se recuperado de notícias divulgadas no final da semana sobre a Coreia do Norte ter disparado um míssil que sobrevoou o Japão. Foi o segundo míssil lançado pela península que sobrevoou o território japonês em apenas duas semanas.
Nesta semana, Donald Trump, presidente norte-americano, deverá fazer um pronunciamento na ONU pela primeira e é muito esperado que Pyongyang esteja na agenda.
Ainda na divisão Comex, contratos futuros da prata recuavam 1,537% para US$ 17,42 por onça troy.
Fonte: Investing

Ouro fecha em baixa, com dólar mais forte

Ouro fecha em baixa, com dólar mais forte


O contrato futuro de ouro fechou em baixa nesta segunda-feira, 18, no quinto declínio nos preços do metal precioso nas últimas seis sessões, com a alta do dólar em relação a outras moedas principais, como o iene e o euro.
 Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato de ouro para dezembro fechou em queda de 1,09%, a US$ 1.310,80 por onça-troy.
 No início do mês, os preços do ouro atingiram o nível mais alto em mais de um ano, ultrapassando a marca dos US$ 1.250,00 por onça-troy, mas voltaram a cair após um arrefecimento das tensões entre Estados Unidos e Coreia do Norte, com o fortalecimento da moeda americano. Um dólar mais forte torna o ouro mais caro para investidores que operam em outras divisas.
Com a turbulência geopolítica de escanteio nas últimas sessões, a preferência dos investidores passou a ser por ativos mais arriscados, com os mercados acionários americanos renovando sucessivas máximas. “O mercado está muito confortável”, disse o vice-presidente sênior da Dillon Gage Metals, Walter Pehowich. “O dólar mais forte e os rendimentos mais fortes dos Treasuries continuarão a pressionar os metais”, afirmou.
 Nesta semana, também está no radar do mercado a reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) na próxima quarta-feira. Embora um aumento nos juros não esteja sendo esperado, indícios sobre o ritmo de aperto monetário do banco central podem influenciar os preços do ouro.
Fonte: IstoÉ

BH sedia a 17ª Exposição Internacional de Mineração até quinta-feira

BH sedia a 17ª Exposição Internacional de Mineração até quinta-feira


Com mais de 40 mil visitantes e 500 expositores, a Exposição Internacional de Mineração (EXPOSIBRAM) e o Congresso Brasileiro de Mineração começam nesta segunda-feira (18) no Expominas, em Belo Horizonte. O ano de 2017 marca a 17ª edição dos dois eventos, que serão realizados até 21 deste mês. A idealização é do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM).
 Uma ausência sentida foi a do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. O presidente da da Vale, Fabio Schvartsman, também não compareceu. Ambos haviam confirmado presença no talk show de abertura do evento..
Considerada uma das maiores exposições de mineração da América Latina, a EXPOSIBRAM conta a participação de centenas de empresários e representantes de organizações governamentais e privadas em um só lugar. São 13 mil metros quadrados de estandes, nos quais estão representadas as principais mineradoras com atuação global e grandes fornecedores de produtos e serviços.
No espaço, serão apresentadas as principais novidades em tecnologia, equipamentos, softwares e outros produtos ligados à Indústria Mineral, além de dados sobre investimentos e gestão.
Realizado em paralelo à Exposição, o Congresso Brasileiro de Mineração atrai mais de mil participantes entre especialistas, pesquisadores, estudantes e representantes de empresas. Na programação estão palestras e debates sobre o contexto político e socioeconômico global, bem como as perspectivas dos negócios para as próximas décadas anunciadas pelas mineradoras.
Fonte: Hoje em Dia

Vale implementará nova estratégia para crescer após reduzir dívida, diz diretor

Vale implementará nova estratégia para crescer após reduzir dívida, diz diretor


A mineradora Vale tem trabalhado em estudos para definir uma nova estratégia de crescimento, que deverá ser colocada em prática quando a companhia cumprir sua meta de reduzir o endividamento para níveis confortáveis, disse nesta segunda-feira o diretor-geral de Recursos Humanos e Consultoria Geral da empresa, Clóvis Torres.
 ”Estamos aí numa retomada, cumprindo o que prometemos no nosso planejamento estratégico… Vamos cumprir o mais rápido possível, para chegar a níveis confortáveis de endividamento, e a partir daí você tem que ter, sim, uma estratégia de crescimento definida. Para buscar aí, seja diversificação, seja fusões e aquisições, seja crescimento mesmo com novos projetos”, disse Torres a jornalistas.
“É isso que a gente está hoje desenhando.”
O executivo, que participou de congresso do setor de mineração, disse que a definição dessa estratégia é “o principal desafio” do novo presidente da Vale, Fabio Schvartsman, que assumiu o cargo em maio.
“Essa é a mudança que ele se propõe a colocar na mesa”, afirmou.
Schvartsman disse ao final de julho que a meta de reduzir o endividamento para cerca de 15 bilhões de dólares deve ser atingida apenas durante 2018. No fim do segundo trimestre, a dívida líquida da empresa estava em aproximadamente 22 bilhões de dólares.
Fonte: Extra

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Iceberg, O Que é um Iceberg?

Iceberg, O Que é um Iceberg?
#Iceberg, O Que é um Iceberg?Iceberg é um enorme bloco de gelo que resulta da fragmentação das geleiras, quando chegam ao mar, ou das camadas de gelo marinho. Uma temperatura mais elevada ou a agitação das ondas do mar produzem a ruptura dos blocos de gelo, que ficam à deriva e são levados por correntes a regiões equatoriais.

O naufrágio do navio Titanic, em 1912, em que morreram mais de 1.500 pessoas, foi conseqüência de sua colisão com um iceberg. Os muitos desastres provocados por essas grandes massas de gelo que se desprendem dos continentes polares e flutuam para regiões mais quentes motivaram a criação de um sistema internacional de vigilância.

O comprimento dos icebergs varia de algumas centenas de metros a cerca de oito quilômetros. Sua espessura, da qual apenas uma nona parte é visível, pode chegar a 45m. Esses enormes blocos de gelo são muito maiores e mais abundantes no hemisfério sul. No oceano Glacial Antártico encontram-se 93% dos icebergs do mundo, e no Ártico eles se concentram sobretudo perto da Terranova, procedentes da Groenlândia e arrastados pela corrente de Labrador.

O perigo que os icebergs representa para a navegação tornou necessária a criação de organismos internacionais encarregados de estudar, localizar e vigiar esses blocos de gelo. Quando estão dentro de uma zona onde transitam muitos barcos, é necessário destruí-los mediante o emprego de explosivos e outras técnicas.

#Iceberg

Fonte: BBC

Ibovespa bate 76 mil pontos pela 1º vez com maior apetite a risco

Ibovespa bate 76 mil pontos pela 1º vez com maior apetite a risco

Às 11:32, o índice da bolsa brasileira subia 0,73 por cento, a 76.306 pontos. O giro financeiro era de 5 bilhões de reais

São Paulo – O principal índice da bolsa paulista operava no azul nesta segunda-feira, atingindo novas máximas intradia e chegando aos 76 mil pontos, com o cenário externo favorável a ativos de risco dando impulso a
A primeira parte do pregão é marcada ainda por vencimento de opções sobre ações, o que pode favorecer alguma volatilidade.
Às 11:32, o Ibovespa subia 0,73 por cento, a 76.306 pontos. O giro financeiro era de 5 bilhões de reais.
Localmente, embora ainda exista cautela com o cenário político, a visão de que o governo do presidente Michel Temer ganhou fôlego para seguir com sua agenda de reformas tem se sobreposto às preocupações diante da nova denúncia contra Temer apresentada na semana passada pelo ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Neste pregão, o tom positivo ganhava respaldo ainda do exterior, com a redução das tensões geopolíticas que aumentavam o apetite por risco de investidores e impulsionavam o mercado acionário norte-americano, levando os índices Dow Jones e S&P 500 a novas máximas intradia.
No entanto, apesar do tom positivo da sessão, operadores não descartam a possibilidade de algum movimento de ajuste após as novas máximas recordes, em um dia de agenda econômica mais esvaziada, à espera de eventos importantes na semana, como a decisão de política monetária do banco central dos Estados Unidos, na quarta-feira.

Destaques

– JBS ON caía 3,16 por cento, após o conselho de administração da maior processadora de carne do mundo escolher José Batista Sobrinho como presidente-executivo, no lugar do seu filho Wesley, que está preso por insider trading. A decisão, segundo analistas do BTG Pactual, reitera a posição de controle da família e atrasa a aguardada transição para uma gestão profissional.
– Petrobras PN subia 0,66 por cento e Petrobras ON tinha alta de 1,03 por cento, apesar da queda nos preços do petróleo no mercado internacional. O noticiário da empresa também segue no radar, após a petroleira anunciar plano de emissão de 2 bilhões de dólares em títulos no exterior e troca de dívida.
– Vale ON subia 1,21 por cento, em dia de alta para os contratos do minério de ferro na China. Além disso, analistas do Credit Suisse afirmaram que receberam bem a estratégia atualizada da empresa, de voltar as atenções para redução da alavancagem, dos custos e de capex, além de pagamento adicional de dividendo e adiamento de fusões e aquisições, até que um balanço mais saudável seja atingido.
– Itaú Unibanco PN tinha alta de 0,66 por cento e Bradesco PN ganhava 1,11 por cento, ajudando a manter o tom positivo do índice, devido ao peso dessas ações em sua composição.
– Eletrobras ON subia 3,48 por cento e Eletrobras PNB tinha alta de 4,22 por cento, ainda reagindo à expectativa pela privatização da elétrica, o que se sobrepunha à informação de que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu não conceder o efeito suspensivo e manteve a devolução de quase 3 bilhões de reais pela estatal à Conta de Consumo de Combustíveis (CCC).
 o tom positivo diante do alívio de investidores com o quadro político interno.
                           
                            Fonte: Reuters